Uma conversa sobre ciclos e processos, por Alice Rosas

Uma conversa sobre ciclos e processos, por Alice Rosas

Antes de tudo, que delícia poder estar aqui de novo escrevendo para vocês. 

Confesso que eu estava sentindo muita falta desse momento de pausa, eu e o computador, um cházinho (que hoje é uma infusão de hortelã), para colocar o que se passa nessa cabecinha em palavras, e para compartilhar o conhecimento que tenho no universo dos chás, ervas e infusões. 

Meu último texto foi sobre encerramento de ciclos, e agora estou aqui novamente, iniciando um novo. Todo domingo estarei aqui novamente, contando para vocês alguma curiosidade sobre chás e ervas, ou apenas para batermos um papo, como hoje. 

Principalmente para nós, mulheres, a vida acontece dessa forma, né? Em ciclos. E eu aprendi e re-aprendi muito sobre isso só recentemente.

Nos últimos 4 meses, precisei lidar com algumas questões de saúde, e senti como se eu precisasse (re)conhecer todo o meu corpo e como ele funciona novamente. Pesquisei, fui à médicos, nutricionistas, li muitos livros, tomei alguns remédios fortes… E na verdade, o que me fez sentir como eu mesma novamente foi um tratamento quase que todo natural. Uma dieta equilibrada, exercícios físicos com constância, ciclo de sementes, suplementos naturais, e muitos chás e infusões. 

E não me levem a mal, a medicina teve e tem um papel muito importante em todo o meu tratamento, mas a verdade é que eu me prendi tanto a isso e a só ter essa opção, que esqueci que a pessoa que realmente conhece o meu corpo e o que eu estou sentindo, o que funciona, sou eu. Quem teve reações horríveis aos remédios e que se sentiu muito melhor ao substituir por opções mais naturais, acompanhada por médicos, foi eu. 

E olhando o que eu estou escrevendo agora, parece que foi um momento rápido e fácil de ser entendido, mas a verdade é que foi um processo. Um processo de autoconhecimento, um processo de testes, um processo de entender que eu precisava conviver com uma nova fase da minha vida, e consequentemente, uma nova eu. 

A gente se apega tanto aos momentos, que esquece que eles podem mudar, que a vida pode mudar, e que vamos precisar nos adaptar. É natural dos seres humanos se adaptarem, mas também é natural resistir às mudanças. E vamos combinar, nós sempre resistimos muito, né?

A vida também é feita de processos. Principalmente processos internos, que vão mudando, melhorando, se transformando com a gente, com o nosso amadurecimento. E sabe o que também é muito importante nesses processos? Pessoas com quem contar. Fazer o que ama. Estar presente. Se sentir presente. 

E esse é o meu convite hoje, aqui, nesse momento, enquanto estamos no processo de juntes, construir um novo ciclo. Um convite para estarmos mais presentes. Um convite para tirarmos alguns minutos do dia corrido para respirar fundo, tomar um chazinho, ler um bom livro, conversar com quem a gente ama. A vida é muito mais do que a correria. O que me dizem, vamos fazer uma pausa com chá?

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.